Sábado, 15 de Agosto de 2020
Luiz Paulo Matias

A conquista do FUNDEB e suas múltiplas variantes

Publicada em 22/07/20 às 11:23h - 368 visualizações

por Luiz Paulo Matias


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Rádio Bandeirantes - Tubarão/SC)

Hoje inicio essa coluna com uma pauta que se rastejou por alguns anos e agora caminha para um final que - desculpe a quem se opõe - não poderia ser de outro modo. Sim! Não poderia ser de outra maneira a conquista do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) de modo permanente.

Escrevo isso, leitoras e leitores, pois trago em minha defesa o poder que a Educação tem para renovar vidas e direcionar um Estado a sua concepção de Nação. Escrevo em nome de crianças, adolescentes e jovens que necessitam de uma infraestrutura capaz de oferecer um ambiente capaz de agenciar uma efetiva aprendizagem. Ressalto em defesa de, pelo menos, 4.810 municípios brasileiros beneficiados por esse fundo.

Mas, professor, por que esta discussão demorou tanto e ainda gera tanta polêmica? Pois bem, leitoras e leitores! Quero, agora, convidar vocês para uma breve reflexão e suas variantes. Pois,enquanto a Educação for manobra de massa e não tiver o respeito que merece, vamos esmorecendo no sórdido caminho de construir mão de obra barata, em detrimento à formação de sujeitos críticos e agentes na modificação pessoal e social. E, destaco mais, meus caros! No instante em que a educação é mais um dispositivo de controle, como destaca Foucault, toda manobra contra a boa política pode agir descontínua e jogada a deus dará.

É necessário um critério filosófico sobre as análises que passam despercebidas. Ou seja, é preciso a curadoria da crítica sobre banalização do processo de ensino/aprendizagem. No documento SUCESSO NA ESCOLA, NA VIDA E NO TRABALHO, o professor e mestre em Educação Mauricio da Silva traz um dado do IPEA, onde assinala que há diminuição de 2% dos homicídios a cada 1% de jovens entre 15 e 17 anos na escola. Então, Educação, pra quê, não é?

Educação pra salvar a Nação e não para manobras governamentais. Educação para a manutenção de um virtuoso Estado! Educação pensada de modo holístico, onde já fizeram países como a Finlândia, por exemplo, ao descobrir que essa é a única via de promover no agora um futuro próspero.

Assim, por hoje, vou ficando por aqui! Que seja uma conquista inabalável sem variações negativas, frente a tantas variantes positivas que tal aquisição gera e vai continuar promovendo. Agora, é cuidar e assegurar para que se cumpra. Fiscalizar e exigir mudanças. Agora, é saber que o povo tem e sempre terá poder quando, juntos e unidos, lutamos por uma causa maior.

Até semana que vem, leitoras e leitores!




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

1 comentários


lilil porto

22/07/2020 - 12:52:14

Boa reflexão.A valorização da educação é a única forma de mudar a história de um país.


Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 48991557632

Visitas: 457612
Usuários Online: 18
Copyright (c) 2020 - Rádio Bandeirantes - Tubarão/SC - Radio Bandeirantes - Tubarão/SC